Frente integrada assume compromisso de defesa do direito autoral

21/12/2010

Uma frente integrada em defesa do direito autoral moral dos compositores foi consolidada, na última quarta (14), saldo da audiência promovida pelo Ministério ...

Novo Prazo

30/11/2010

Edital de Estímulo à Gestão Coletiva de Direitos Autorais O Ministério da Cultura prorrogou até o dia 28 de fevereiro o prazo final para o envio ...

Congresso Internacional Criatividade, Mercado e Diversidade Cultural

11/11/2010

Entre 1 e 3 de dezembro, o Rio de Janeiro recebe o Congresso Internacional Criatividade, Mercado e Diversidade Cultural. Discutir a propriedade intelectual ...

Reunião com entidades discute modernização da LDA

29/09/2010

Mesmo após a finalização da consulta pública para revisão da Lei de Direito Autoral, o anteprojeto continua recebendo sugestões de modernização. ...

Congresso discutirá Direito do Autor e Interesse Público

21/09/2010

Entre os dias 27 e 29 de setembro será realizado em Florianópolis, o IV Congresso de Direito de Autor e Interesse Público. Organizado pela Universidade ...

Direito Autoral

17/09/2010

De 27 a 29 de setembro, UFSC realizará II Congresso de Direito de Autor e Interesse Público O congresso é organizado pela Universidade Federal de Santa ...

Blog

“Privatização do conhecimento” é alvo de críticas

06/08/2010

Folha de S. Paulo – SP,  Plínio Fraga, em 6/8/2010

Dois dos mais conceituados historiadores contemporâneos, Robert Darnton (Universidade Harvard) e Peter Burke (Cambridge) criticaram ontem na Flip a “privatização do conhecimento” por meio de longevas leis de proteção ao direito autoral.

Darnton lembrou que os fundadores do Estado norte-americano estabeleceram inicialmente que uma obra estaria protegida por 14 anos, prorrogáveis por mais 14.

Hoje, o direito autoral deve ser respeitado até 70 anos depois da morte do autor. “Há um movimento de enclausuramento da cultura. Pesquisadores financiados por empresas particulares não podem dividir o conhecimento produzido, porque isso se opõe ao interesse dos financiadores. Mas o conhecimento pertence a toda a humanidade. É criado para o bem-estar de todos, não só para o lucro de alguns”, afirmou.

Burke exemplificou o que chamou de tentativa de “privatizar o conhecimento”. “Na Índia, limpar os dentes com folhas de uma determinada árvore é um hábito difundido, o que faz com que a venda de pastas de dentes seja menor do que poderia ser. Agora, uma empresa americana quer patentear a obtenção da substância desta árvore. Ou seja, indianos podem ter de pagar por um hábito milenar em sua cultura.”

WIKIPEDIA

Os historiadores elogiaram a produção de enciclopédias digitais, como a Wikipedia -uma obra aberta a qualquer usuário para a produção de verbetes ou trechos de verbetes.

“Os alertas da Wikipedia -do tipo este artigo pode conter viés político ou de falta de identificação de fontes confiáveis- levam a uma saudável desconfiança sobre quem produz conhecimento”, disse Darnton.

Burke definiu-se como “semiotimista” com o futuro dos livros impressos. “O que me faz também semipessimista”, relativizou. “Mas acho que o livro impresso está longe de morrer.”

Darnton admitiu que não tem o hábito de ler em máquinas (como Kindle). “Elas ainda vão melhorar, mas gosto da relação com o livro de papel, da sensação de poder voltar as páginas. Mas o futuro do livro é digital.”

Seu companheiro de mesa completou, no entanto, lamentando que a leitura digital é para obras curtas, o que afetará o formato dos livros.

Be Sociable, Share!

Deixe um comentário

Você precisa logar para postar um comentário.