Frente integrada assume compromisso de defesa do direito autoral

21/12/2010

Uma frente integrada em defesa do direito autoral moral dos compositores foi consolidada, na última quarta (14), saldo da audiência promovida pelo Ministério ...

Novo Prazo

30/11/2010

Edital de Estímulo à Gestão Coletiva de Direitos Autorais O Ministério da Cultura prorrogou até o dia 28 de fevereiro o prazo final para o envio ...

Congresso Internacional Criatividade, Mercado e Diversidade Cultural

11/11/2010

Entre 1 e 3 de dezembro, o Rio de Janeiro recebe o Congresso Internacional Criatividade, Mercado e Diversidade Cultural. Discutir a propriedade intelectual ...

Reunião com entidades discute modernização da LDA

29/09/2010

Mesmo após a finalização da consulta pública para revisão da Lei de Direito Autoral, o anteprojeto continua recebendo sugestões de modernização. ...

Congresso discutirá Direito do Autor e Interesse Público

21/09/2010

Entre os dias 27 e 29 de setembro será realizado em Florianópolis, o IV Congresso de Direito de Autor e Interesse Público. Organizado pela Universidade ...

Direito Autoral

17/09/2010

De 27 a 29 de setembro, UFSC realizará II Congresso de Direito de Autor e Interesse Público O congresso é organizado pela Universidade Federal de Santa ...

Blog

Um por todos todos por um

03/11/2010

O Globo, em 1/11/2010

Doutor pela UCLA, o DJ Faroff comenta sobre os direitos autorais de músicas na web

Você sabe o que é mashup? O economista Leonardo Bursztyn também não sabia, há cinco anos, quando se mudou para Boston para fazer doutorado.

Foi então que ele ouviu a mistura de duas músicas que, retrabalhadas, davam origem a um terceira. É como pegar Beatles e juntar com Beastie Boys. Aliás, foi quando ouviu “The Beastles”, de mashups feitos a partir de músicas destas duas bandas, que Leonardo, virou o DJ Faroff. Doutor em Harvard, quando ele não está dando aula na UCLA, recorta e cola músicas de gente como Joan Jett, LCD Soundsystem e Michael Jackson para criar a sua própria obra.

Sua fama em Los Angeles o levou a cidades como Berlim, Nova York e… Rio: dia 17 de dezembro, ele toca na Fosfobox.

Por isso, curiosos sobre o direito autoral que gira em torno de todo o processo criativo de Faroff (e da internet), fomos conversar com ele.

Não é perigoso pegar música dos outros para criar a sua? Não, porque não hospedo nenhuma música. Gosto de misturar dois ou mais videoclipes para criar um novo, e, vez ou outra, o YouTube avisa que aquele vídeo foi proibido em um país específico (ou no mundo inteiro) a pedido da gravadora da artista.

As versões que faço têm vocais de uma música e instrumental de outras; às vezes até instrumentos de várias músicas para criar o meu mashup. Nos clubes noturnos, é como se eu estivesse mixando ao vivo, como todos os DJs do mundo fazem.

Quem paga pelo direito de execução são os proprietários do lugar.

Qual o lado bom do mashup? Ao se fazer um mashup de um artista, você está na verdade divulgando ele – muitas vezes para um público novo. A realidade é outra hoje em dia: é impossível evitar que terceiros se apropriem e reciclem sua música e a indústria vai ter que se adaptar a isso. Estamos em uma era onde tudo é reaproveitável e misturável. E acessível.

Isso é ótimo.

Então qualquer um pega músicas e faz um mash-up? Sem preocupação com os direitos? Isto é um debate em aberto.

Alguns artistas tiveram que pagar por hospedarem trechos de músicas de outros artistas. Também podem ser processados se quiserem vender tais faixas. Mas cada vez mais, há produtores de mashups encontrando formas de evitar isso, como, por exemplo, argumentarem que a faixa não foi lançada com fins lucrativos.

Que software você usa? Uso o Sony Acid Pro para produzir o áudio e o Sony Vegas para editar os vídeos.

São muito práticos e fáceis de usar. Recomendo também o Ableton Live para produção de áudio.

Be Sociable, Share!

Deixe um comentário

Você precisa logar para postar um comentário.