Frente integrada assume compromisso de defesa do direito autoral

21/12/2010

Uma frente integrada em defesa do direito autoral moral dos compositores foi consolidada, na última quarta (14), saldo da audiência promovida pelo Ministério ...

Novo Prazo

30/11/2010

Edital de Estímulo à Gestão Coletiva de Direitos Autorais O Ministério da Cultura prorrogou até o dia 28 de fevereiro o prazo final para o envio ...

Congresso Internacional Criatividade, Mercado e Diversidade Cultural

11/11/2010

Entre 1 e 3 de dezembro, o Rio de Janeiro recebe o Congresso Internacional Criatividade, Mercado e Diversidade Cultural. Discutir a propriedade intelectual ...

Reunião com entidades discute modernização da LDA

29/09/2010

Mesmo após a finalização da consulta pública para revisão da Lei de Direito Autoral, o anteprojeto continua recebendo sugestões de modernização. ...

Congresso discutirá Direito do Autor e Interesse Público

21/09/2010

Entre os dias 27 e 29 de setembro será realizado em Florianópolis, o IV Congresso de Direito de Autor e Interesse Público. Organizado pela Universidade ...

Direito Autoral

17/09/2010

De 27 a 29 de setembro, UFSC realizará II Congresso de Direito de Autor e Interesse Público O congresso é organizado pela Universidade Federal de Santa ...

Próxima Página »
Blog

Direitos Autorais no Audiovisual

30/08/2010

No texto para uma nova Lei do Direito Autoral, que fica em consulta pública até dia 31 de agosto, o Ministério da Cultura (MinC) traz propostas específicas para o setor do audiovisual. Os objetivos principais são redefinir a autoria das obras e regulamentar a arrecadação no segmento.

De acordo com o conteúdo proposto, o direito sobre as obras passaria a ser dividido entre o diretor realizador, o roteirista, os autores do argumento literário e da composição musical, criados especialmente para o trabalho. Como consequência do reconhecimento da autoria, a partir de então, todos os criadores poderiam ser remunerados pelas exibições públicas das obras audiovisuais.

Para isso, devem criar associações de gestão coletiva, que deverão recolher e distribuir os valores arrecadados. Hoje, quando um filme ou uma novela passam no cinema ou na TV, por exemplo, apenas os autores das músicas da trilha sonora têm a possibilidade de receber por esta exibição.

A proposta busca expandir o modelo de arrecadação que existe na área da música para o setor audiovisual, propondo um maior controle do autor sobre o aproveitamento econômico de sua obra.

Para o representante da Associação Paulista de Cineastas, André Klotzel, “a reformulação da lei vai organizar uma área que está completamente dispersa e contraditória, vai acabar com certos abusos e viabilizar a arrecadação para autores cinematográficos e roteiristas, categorias que não estão contempladas no atual modelo de legislação”.

Na avaliação do coordenador da Diretoria de Direitos Intelectuais do Ministério da Cultura (MinC), Cliffor Guimarães, o direto de autor perpassa toda a cadeia da economia da cultura, pois fornece os contornos legais para todos os negócios no setor. Com a definição de uma lei mais clara, e a consequente redução das incertezas jurídicas, a expectativa é uma expansão nos modelos de negócios na área, aquecendo o mercado cultural do país.

(Patrícia Saldanha, Comunicação Social/MinC)

Ler comentários