terça-feira, 21 de fevereiro de 2017 RSS Ouvidoria Fale com o Ministério
« Voltar Imprimir

Indicador de preços da Cultura

MinC lança pesquisa nacional de valores para avaliação de propostas à Lei Rouanet

Produtores culturais, empresas, o mercado e a sociedade passam a ter, pela primeira vez, indicadores nacionais de preços da cultura, levantados segundo parâmetros e técnicas de mercado. A pesquisa, que servirá para lastrear e avaliar propostas candidatas à renúncia fiscal pela Lei Rouanet, foi lançada esta semana pelo Ministério da Cultura (MinC).

O levantamento é nacional e detecta os valores médios de 255 itens, entre serviços e mão de obra do universo da produção cultural. Os itens são os mais diversos, indo desde preços de hospedagem, locação de veículos e espaços, frete e alimentação, até preços de mão de obra de cinegrafistas, coreógrafos, diretores e técnicos em variados segmentos. Até agora, o mercado não dispunha de parâmetros para análises com identificação desses dados.

Para o secretário de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic), Henilton Menezes, a pesquisa representa avanço para todo o processo de análise. “Nosso país possui uma grande diversidade cultural e cada atividade possui suas peculiaridades. A pesquisa traz os preços de serviços e mão de obra de cada região do Brasil. Com isso, passamos a ter um norteador para as análises, promovendo o aperfeiçoamento do atual mecanismo de incentivo fiscal. É mais um passo dado pelo MinC para melhoria dos processos da Lei Rouanet”, explica Menezes.

De acordo com o secretário Henilton, os valores apresentados constituem-se como referências para o mercado cultural, mas não são preços fixos para as categorias elencadas. “A proposta não é engessar e sim servir como parâmetro, em torno do qual deverão gravitar os valores aprovados. Caso o proponente apresente valor discrepante ao divulgado na pesquisa, deverá justificar o motivo junto ao MinC, visando à coerente aplicação dos recursos públicos”, explicou Menezes.

O MinC contratou o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Belém, Recife, Brasília, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, as capitais-base da pesquisa, são consideradas como representativas das regiões brasileiras. Entre as fontes consultadas, estão tabelas de sindicatos e associações, de fornecedores e taxas de serviços públicos. Esta primeira relação de valores teve como base o mês de agosto de 2011. A cada mês, a Fundação atualizará os preços dos itens de duas praças e repassará ao Ministério da Cultura.

Clique nos links abaixo e acesse os indicadores de preços:

Mão de obra

Serviços

 

 

Compartilhe:
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • MySpace
  • TwitThis
  • email
  • LinkedIn

Participação do Leitor

Espaço reservado exclusivamente para comentários acerca da matéria ou publicação veiculada nesta página. Solicitação de informações ou dúvidas devem ser encaminhadas por meio do Fale com o Ministério; reclamações ou denúncias devem ser dirigidas para Ouvidoria.

*

max. 1000 caracteres


Regras para comentários:

1. Os comentários terão moderação desta Assessoria de Comunicação.

2. Comentários que fujam ao teor da matéria serão excluídos.

3. Ofensas e quaisquer outras formas de difamação não serão publicadas.

4. Não publicamos denúncias. Nestes casos, serão enviadas à Ouvidoria, que as encaminhará aos órgãos cabíveis.

5. A postagem de comentários com links de matérias não produzidas por este ministério será excluída.

6. Respostas a questionamentos e esclarecimentos exigem consulta, impedindo-nos, por vezes, retorno imediato.



51 comentários

  • Alynn

    26 de fevereiro de 2013

    Tem a tabela atualizada? Obrigado

    RESPOSTA: As últimas atualizações ocorreram em 2012. Veja http://migre.me/ds2bJ

  • Magda

    8 de janeiro de 2013

    Precisamos dos valores atualizados para janeiro 2013

    Esta disponivel apenas Agosto de 2012

  • Angélica Grellmann Breunig

    13 de agosto de 2012

    Parabéns pela tabela. Sabe-se que ela não é perfeita, é apenas uma indicação de consulta. O importante é revisá-la constantemente, buscar valorizar a classe artística e não torná-la a única referência para remuneração.
    Gostaria de saber como são remunerados – nas leis de incentivo – os autores dos livros (direito autoral) a serem publicados, não encontrei nenhuma referência na tabela.
    Obrigada

    RESPOSTA: Para tirar dúvidas ou obter informações, você deve encaminhar sua mensagem por meio do Fale com o Ministério, no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • elizabeth martinez

    11 de julho de 2012

    Parabéns pela tabela!
    Sei que ela não pode ser exata para todos os estados do brasil, mas serve de referencia, alguns serviços não foram citados mas ajuda aproximar dos similares. Tem tabela atualizada? grata

    RESPOSTA: Para tirar dúvidas ou obter informações, você deve encaminhar sua mensagem por meio do Fale com o Ministério, no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • viviane

    14 de junho de 2012

    preciso da tabela de custo para montar uma equipe teatral incuindo iluminaçao e tudo mais
    RESPOSTA: entre em contato com a Secretaria responsável, por meio do link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=centralAtendimento

  • CLEUZA BRANDÃO

    30 de maio de 2012

    Excelente! Há anos faço pesquisas em cooperativas, associações, sindicatos e fornecedores diversos, mas os valores são tão dispersos que dificultam a elaboração de projetos para concorrência, correndo o risco de grandes desvios para mais ou para menos.

    Parabéns e muito obrigada!

    Cleuza Brandão

  • Gil Ferreira

    20 de março de 2012

    Tabela é bom, se for correta melhor ainda, esta tem inúmeros equivocos. Antes de tabelar é necessário ter mercado, coisa que não existe ainda.

  • Ana Paula

    11 de novembro de 2011

    O que aconteceu com a valorização do trabalho do ator? pela tabela de mão de obra o ator deve ganhar R$399,78 por semana no teatro adulto equanto camareiros e maquiadores ganham mais R$900,00 por semana?
    Eu não entendi bem a pesquisa ou ela de fato representa o descaso e a total desvalorização do trabalho artístico?
    É sério memso que um ator profissional deva ganhar R$1600,00 por mês. O salário de um estagiário de qualquer outra profissão?

    • Cleuza Brandão

      30 de maio de 2012

      Ana Paula, gostei muito da tabela, mas também achei incoerente o cachê do ator. Nunca poderia ser igual a de estagiários, técnicos, etc. Aqui em Brasília, o cachê de ator é de 400,00 por apresentação.

      Este item precisa ser revisto URGENTE.

  • vani fátima

    8 de novembro de 2011

    Muito bom, parabéns!

    • Gil Ferreira

      20 de março de 2012

      Ô Vani , voce não aparenta ser uma artista.

  • Tabelão da cultura : Blog do Moreira

    8 de novembro de 2011

    [...] Continue… Comments Submarino.com.br Click here to cancel reply. Name (required) [...]

  • Niedja Santos

    7 de novembro de 2011

    Senti falta também de indicadores de preços para profissionais das artes visuais, especificamente para os educadores/mediadores, ou como queiram chamar os monitores de exposições de arte. Se há defasagem nos valores o que não dizer de profissionais da área de mediação cultural que não teve esta categoria sequer inclusa na pesquisa. Educativos de exposição é um setor em crescimento, até mesmo pela demanda de ações nas artes visuais que vem acontecendo em todo país e por isso esta categoria de profissionais da educação merecia mais atenção.

  • caio cardoso lucena

    7 de novembro de 2011

    Muito bom!! O Minc acertou na mosca com esta pesquisa que espera-se possua uma periodicidade na divulgação dos preços.
    Tem muita gente do setor cultural que não sabe o valor de seu trabalho.
    Com estes preços agora pode-se contestar uma série de disparates nos custos de projetos culturais.

  • maria eduarda belem

    7 de novembro de 2011

    senti falta de atividades ligadas a cadeia produtiva das artes plásticas… há alguma outra tabela ou levantamento por vir?

    maria eduarda belém

  • Regius Brandão

    5 de novembro de 2011

    Não duvido da seriedade do trabalho realizado nesta pesquisa, mas quando surgem parâmetros tão distorcidos como no cado dos valores atribuídos a semana de trabalho atores/atrizes em teatro em capitais como São Paulo, Rio e Porto Alegre em torno de R$ 399,00 por semana acredito que este valores possam retratar uma triste realidade. Mas um índice que deverá servir com base para avaliarmos o que é justo não pode se basear em valores injustos. Nosso dever e o dever do MinC é elevar patamares de valorização profissional e jamais reproduzir e incentivar a injustiça ou as distorções de mercado. Sou ator, diretor e produtor de teatro há mais de trinta anos e conheço as dificuldades e injustiças praticadas na prática de nossa profissão. Espero sinceramente que este ítem especifamente deixe de ser reatrato de uma triste realidade e passe a ser uma referencia de piso salarial proposto pelos atores e atrizes.
    Regius Brandão, ator, diretor, autor e produtor d eteatro

  • Dayse Cunha

    3 de novembro de 2011

    Caso o MinC aprove projeto que tenha usado como referência orçamentária pisos referentes ao mês de outubro 2011. Suponhamos que somente em dezembro de 2012 a produção conclua efetivamente toda a cota de captação
    - Qual a previsão de correção salarial para o corpo técnico desse Projeto, uma vz que o mesmo só poderá iniciar sua implementação a partir de janeiro de 2013?
    Como garantir que nossos profissionais trabalhem com salários abaixo do mercado, sem corrermos riscos de processos trabalhistas após concluído o Projeto?

    Por último, em que link acessar mês a mês os indicativos de valores encomendados pelo MinC a FGV?
    Grata.
    RESPOSTA: você pode retirar essa dúvida diretamente com a Secretaria responsável, pelo link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=centralAtendimento

  • Ana Carina

    2 de novembro de 2011

    Gostaria de entender quais os critérios da FGV para essa tabela tão cheia de distorções e distante da realidade de mercado das capitais citadas. Ator 399 por semana? Menos que costureira ou cabelereiro? Sério? Parametros como esse, ao invés de ajudar, desestimulam a profissionalização de quem trabalha com arte e cultura no país. Acredito na boa intenção, pela transparência, mas se o resultado é distorcido, que vocês vão criar é um enorme emaranhado burocrático e dificultador para produtores e artistas de cada região. Boa iniciativa. Lamentável o resultado. Medo do que virá à frente.

  • Ramon Marambio

    1 de novembro de 2011

    Interessante existir uma tabela para referência, porém muitos dos preços estão bem abaixo da realidade. Um artistas circense por exemplo, R$ 1.200,00 mensais…

  • MinC lança pesquisa nacional de valores

    31 de outubro de 2011

    [...] O MinC contratou o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Belém, Recife, Brasília, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, as capitais-base da pesquisa, são consideradas como representativas das regiões brasileiras. Entre as fontes consultadas, estão tabelas de sindicatos e associações, de fornecedores e taxas de serviços públicos. Esta primeira relação de valores teve como base o mês de agosto de 2011. A cada mês, a Fundação atualizará os preços dos itens de duas praças e repassará ao Ministério da Cultura. Os valores estão disponíveis no site do MinC. [...]

  • Dayse Cunha

    28 de outubro de 2011

    Não tive tempo de ler tudo.
    Acho bom termos um parâmetro que nos facilite na formulação dos Projetos.
    Só lembro que, de um a dois anos, não dá para prever quando o recurso é finalmente captado.

    Preocupante também, no que se refere a salário de atores, se não me engano é o mesmo cachê que o de figurantes. Profissional de Circo mil e poucos reais por mês, até um caixa de Banco ganha mais e ainda tem almoço, vl transport, FGTS, 13º, etc. A tabela do SATED foi levada em consideração?
    O MinC tem q tomar cuidado para não acabar desestimulando mais ainda o mercado do profissional de cultura no Brasil. E quanto a nós produtores, por favor, precisamos ter acesso a essa lista de fornecedores e que além de tudo nos garantam esses preços, durante os dois anos de Captação para os Projetos.
    Att

  • Egeu Laus

    28 de outubro de 2011

    Meus parabéns pela iniciativa.
    Mas atenção, já estamos entrando em novembro de 2011 e os indicadores à disposição nos links (mão-de-obra e serviços) ainda são de Agosto…

  • Carolinne Caramão

    27 de outubro de 2011

    Onde está informação pra música e produção de CDs?
    Entrei na ´página errada?

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com a Cultura no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=centralAtendimento

  • Ana Paula Pontes

    27 de outubro de 2011

    Parabéns ao Ministério da Cultura pela iniciativa e também por disponibilizar essa pesquisa de preços. Agora temos um parâmetro. Facilita o trabalho do produtor e também dos pareceristas. Caso o serviço orçado esteja maior do que está na tabela, acredito que o produtor poderá justificar, já que tem campo pra isso no sistema salicweb. Ter esse parâmtero era imprescindível para um bom trabalho! Parabéns mesmo!

  • Virginia Flores

    27 de outubro de 2011

    Prezados,
    Trabalho no setor de audiovisual desde 1974, em longas metragens. Desde 1985 sou Editora de som (ou editora supervisora ou sound designer). Estou sediada no Rio de Janeiro, portanto meu comentário está baseado nesta localidade. Olhei com atenção toda a lista. Só encontrei um código que poderia corresponder ao que faço: o de número 175 – coordenador de comunicação – Supervisor de edição de som, com um salário médio de 900,00 por semana!! Olhando as outras categorias me deparei com outras barbaridades que não correspondem em nada o mercado brasileiro. Os produtores vão ter que viver emaranhados na burocracia de ter que justificar e justificar sem fim. Se a pesquisa foi feita para o processo de análise dos projetos deveria ter ido mais perto dos preços que REALMENTE são efetuados. E ainda existem as diferenças entre os filmes de baixo orçamento e os que seriam considerados na média.
    Me parece que a área artística e a inconstância de trabalhos foram totalmente desconsiderados.

  • Afonso Gallindo

    27 de outubro de 2011

    Parabéns ao MINC e a FGV pela pesquisa. Sou do Pará, produtor/realizador de audiovisual e percebo nesta ação o inicio da compreensão das diferenças/dificuldades por todo o país.
    Vou analizar e divulgar as tabelas e esperamos poder contribuir neste importante levantamento.
    Abraços.

    • Vinícius Mazzon

      27 de outubro de 2011

      Eu sou ator aqui em Curitiba e encontrei a mesma barbaridade na lista de preços. Segundo a lista, o cachê semanal para um ator seria de R$ 399,00!!!! Fico revoltado pela confusão que estes preços absurdos podem causar.

  • Alexandre Santos

    26 de outubro de 2011

    Muito importante a publicação desses indicadores de preço. Nós produtores culturais agradecemos e parabenizamos o MINC pela iniciativa.

    • Gil Ferreira

      20 de março de 2012

      Voce representa a voce. Sou produtor e não concordo com este absurdo.

  • Sara Pavan

    26 de outubro de 2011

    Achei muito legal esses indicativos, mas eles precisam ser constantemente alterado, PRINCIPALMENTE o combustível. Obrigada

  • Jusele Sá

    26 de outubro de 2011

    Prezados,
    Dei uma olhada na tabela de preços e pude perceber de cara que muitos dos preços estão bem mais abaixo do que os praticados no RJ-SP.
    Gostaria de saber como foi conduzida essa pesquisa: se os pesquisadores envolvidos realmente ligaram para os fornecedores de cada Estado e realizou a cotação ou se pegaram uma média de preços dos orçamentos inseridos nos editais e na lei de incentivo?
    Será que consideraram critérios importantes, tais como:
    - alguns produtores tem parceria com fornecedores de X projetos ao ano, o que lhe dar a vantagem de conseguir um preço bem mais em conta por causa da quantidade de projetos que lhe oferece;
    - alguns Estados brasileiros a mão-de-obra é mais barata do que o eixo RJ-SP;
    - infelizmente, alguns produtores, chutam valores no fechamento da planilha.

    Gostaria de saber quais serão os critérios que vocês adotaram para julgar corretamente os valores que estiveram nos orçamentos dos projetos inseridos na lei de incentivo. Isso muito me preocupa.

    RESPOSTA: para obter informações sobre a tabela você deve enviar mensagem para Fale com a Cultura no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=centralAtendimento

    • Vinícius Mazzon

      27 de outubro de 2011

      Não só o combustível. Qualquer um que leia com atenção esta tabela poderá perceber diversos equívocos. Assim como está, com tantos e tantos equívocos, esta tabela só gera confusão e desvaloriza enormemente o trabalho de alguns artistas citados, como em meu caso, que sou ator e que, segundo a tabela, deveria receber R$ 399,00 semanais, ou seja, menos que um figurante, uma costureira e um marceneiro.

  • Vinícius Mazzon

    25 de outubro de 2011

    Estes preços são um completo despropósito!!! Segundo a tabela, o ator do espetáculo ganharia menos que o marceneiro, a costureira, e outros. Uma piada!!! Quem explica estes números? Como irão usar esta tabela?

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com a Cultura no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=centralAtendimento

  • Celene Brandão

    25 de outubro de 2011

    Por que roteirista na Rio de Janeiro ganha um pouco mais da metade do que os de São Paulo?

  • Kleberson Silva Souza

    25 de outubro de 2011

    Precisamos ter acesso aos indicadores de preços, para quem não tem acordo e não quer ter acordo com empresas de fornecimentos é muito complicado conseguir orçamentos, solicitamos e muitos dizem “coloque tal quantia depois agente se acerta é complicado”

    RESPOSTA: Os indicadores de preços já foram disponibilizados no site do MinC.

  • Arte e Cultura Ltda.-ME

    24 de outubro de 2011

    Onde posso encontrar os preços dos INDICADORES?

    RESPOSTA: Os indicadores de preços já foram disponibilizados no site.

  • Natalia

    24 de outubro de 2011

    onde esta a pesquisa?

    RESPOSTA: Os indicadores de preços já foram disponibilizados no site.

  • wagner barja

    24 de outubro de 2011

    NÃO É UM COMENTÁRIO, MAS UMA CONSULTA:
    ONDE SE DIRIGIR PARA OBTER INFORMAÇÕES SOBRE A TABELA DE PREÇOS, RECENTEMENTE LANÇADA PELO MINC.

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • wagner barja

    24 de outubro de 2011

    onde se tem acesso à tabela de preços p/ cultura, recentemente lançada pelo MinC?

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • guilherme camara

    24 de outubro de 2011

    onde foi publicado esse levantamento de preços, qual é o link de acesso a pesquisa ??

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Tamar Azevedo

    24 de outubro de 2011

    Qual o caminho que deve percorrer para ter acesso aos dados da pesquisa?

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Cecilia Esteves

    24 de outubro de 2011

    Aonde ficarão disponíveis estas informações? Obrigada, Cecilia

    RESPOSTA: Cecilia, para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Kleberson Silva Souza

    24 de outubro de 2011

    Olá, como poderemos ter acesso a lista com os indicadores de preço?

    Grato

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Adenor Gondim

    24 de outubro de 2011

    Cadê ou onde esta o Indicador de preços da Cultura?

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Circe do Socorro Ferreira da Silva

    23 de outubro de 2011

    Como e quando posso conseguir os indicadores de preço para filmes de animação em Belém do Pará ,preciso com urgência para curtas e longa metragem com apoio da ONU no GOOGLE (PELA PRESRVAÇÃO DA FLORESTA AMAZÔNICA) .
    att. CIRCE DO SOCORRO

    RESPOSTA: para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Leandro

    22 de outubro de 2011

    Certamente esses dados serão úteis como norteadores dos projetos. Como podemos ter acesso a essas informações?
    Obrigado!
    Leandro

    RESPOSTA: Leandro, para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Mônica Ferreira Costa

    22 de outubro de 2011

    Senhores, gostaria de consultar a pesquisa realizada pela FGV para escrever um projeto para um grupo de dança.
    Como posso fazer a consulta? Há um site específico? A pesquisa já está disponível ao público em geral?
    Agradeço sua atenção e aguardo.
    Mônica F. Costa

    RESPOSTA: Mônica, para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Gilberto Figueira Marinho

    22 de outubro de 2011

    Sou pintor de telas,porem não tenho condições financeira de expor meu trabalho porque sou pobre.Gostaria de ganhar um apoio do tipo patrocíno,pois na minha cidade,aprefeitura não ajuda os artístas que existem por aqui, Eles não dão apoio nenhum. Eu quero retratar à minha cidade em todos os pontos históricos e nossas belezas naturais que são muitas, gosto de pintar de tudo ao estilo. Quero desenvolver também um projéto de estimulo as artes plásticas em meu município para os jovens, usando os meus conhecimentos nesta área. Com isso eu talves tenha a oportunidade de evitar o desgaste da cultura em artes plásticas em minha região. Estou formando uma oficina de formatura em minha residência, para iniciar as minhas atividades e formar futuros artístas e pessos de personalidades definidas à cultura Brasileira, E tentar resgatar o futuro da nossa cultura, só assim vamos formar pessoas de opinião formada neste País ( educar e formar a´cultura )

    RESPOSTA: Gilberto, para obter informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria

  • Marino Galvão Jr

    22 de outubro de 2011

    Isso é fundamental. Se houver a publicação destas pesquisas vai auxiliar inclusive na elaboração dos projetos. Nem sempre quem elabora é quem executa assim muitos itens ficam fora de valores de mercado. Seja para mais ou para menos. Os parâmetros vão referendar as propostas orçamentárias. Aquilo que ficar muito fora do padrão terá de ser justificado.

  • Silvia Melo

    22 de outubro de 2011

    Seria interessante que o resultado desta pesquisa fosse aberto para consulta.

  • Suzy Simon

    21 de outubro de 2011

    voces podem mandar o resultado da pesquisa para o meu email? por favor.

    RESPOSTA: para solicitar informações você deve enviar mensagem para Fale com o Ministério no link http://fale.cultura.gov.br/sisouvidor/autoatendimento/cadastro/formularioMensagem.jsp?strSelecao=ouvidoria