domingo, 19 de fevereiro de 2017 RSS Ouvidoria Fale com o Ministério
« Voltar Imprimir

Vale-Cultura

Envie suas sugestões e dúvidas sobre o Vale-Cultura

 

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, abriu nesta quarta-feira (9), em entrevista à Rádio Band AM, a possibilidade de internautas enviarem opiniões, sugestões e dúvidas sobre o Vale-Cultura à comissão que vai regulamentar a política instituída por lei, no final do ano passado.

Espaço aberto nos comentários desta matéria e nas redes sociais. Todas as postagens serão objeto de estudo da comissão formada pela Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (SEFIC/MinC) e Secretaria de Políticas Culturais (SPC/MinC),  pela Consultoria Jurídica (Conjur/MinC) e Secretaria Executiva (SE/MinC). O grupo tem até o dia 26 de fevereiro para regulamentar o Vale-Cultura.

O que é Vale-Cultura- Sancionado pela presidente Dilma Rousseff no dia 27 de dezembro, o Vale-Cultura é um benefício de R$ 50 mensais concedido aos trabalhadores que recebam até cinco salários mínimos por mês.

Com ele os trabalhadores poderão acessar serviços e produtos culturais nas áreas de Artes Visuais, Artes Cênicas, Audiovisual, Literatura, Humanidades e Informação, Música e Patrimônio Cultural.

A política deve beneficiar aproximadamente 17 milhões de trabalhadores e elevar o consumo cultural em até R$ 7,2 bilhões por ano.

Como funciona - O Vale Cultura será disponibilizado, preferencialmente, por meio magnético. Não será permitida a troca do vale por dinheiro e aqueles trabalhadores que aderirem ao programa terão um desconto máximo de 10% do valor do vale sobre seus salários. Este percentual será diferenciado para aqueles que recebam mais do que cinco salários mínimos.

Entre os pontos que devem ser esclarecidos com a regulamentação está a definição concreta de serviços e produtos culturais que o trabalhador poderá consumir com o Vale-Cultura.

Todos ganham

Trabalhadores: acesso aos produtos e serviços culturais, formação pessoal e melhoria da qualidade de vida;

Empregadores: incentivo fiscal para adesão ao sistema e satisfação e qualificação dos empregados;

Mercado: injeção de R$ 7,2 bilhões/ano na cadeia produtiva da Cultura;

Artistas: escoamento da produção cultural e ampliação da demanda;

Ministério da Cultura: avanço na política de democratização do acesso aos bens e serviços culturais.

(Texto: Ascom/ MinC)
(Foto: Mário Agra)

Veja no link  a entrevista
Veja aqui mais sobre o Vale-Cultura
Mais matérias relacionadas

Compartilhe:
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • MySpace
  • TwitThis
  • email
  • LinkedIn

Participação do Leitor

Espaço reservado exclusivamente para comentários acerca da matéria ou publicação veiculada nesta página. Solicitação de informações ou dúvidas devem ser encaminhadas por meio do Fale com o Ministério; reclamações ou denúncias devem ser dirigidas para Ouvidoria.

*

max. 1000 caracteres


Regras para comentários:

1. Os comentários terão moderação desta Assessoria de Comunicação.

2. Comentários que fujam ao teor da matéria serão excluídos.

3. Ofensas e quaisquer outras formas de difamação não serão publicadas.

4. Não publicamos denúncias. Nestes casos, serão enviadas à Ouvidoria, que as encaminhará aos órgãos cabíveis.

5. A postagem de comentários com links de matérias não produzidas por este ministério será excluída.

6. Respostas a questionamentos e esclarecimentos exigem consulta, impedindo-nos, por vezes, retorno imediato.



589 comentários

  • Ábia Marpin

    22 de março de 2013

    Boa tarde,

    Já que é um benefício para a mercado cultural brasileiro, articulado pelo governo federal brasileiro, deve beneficiar BRASILEIROS.
    Sugiro uma espécie de credenciamento das produções e obras para a comprovação de produtos e serviços artísticos e culturais que tenham, de fato, reflexo no mercado nacional. Exemplo: Vale-cultura pra ir no cinema ver produção hollywoodiana não favorece o mercado nacional, só reforça uma indústria que vai muito bem, obrigada!

    Que o vale-cultura seja para BRASILEIROS!!!!

  • RAIMUNDO CALCADA

    21 de março de 2013

    Quis dizer “realiza”. Mas, essa questão do Vale-cultura ainda dará pano para muita discussão devido a sua importância. Espero que a Lei Cultura Viva tenha a mesma atenção e possamos salvar os pontos de cultura que estão com problemas.

  • RAIMUNDO CALCADA

    21 de março de 2013

    Essa “peneira” que a coordenação do site realixa entrava a comunicação rápida. Creio que estamos todos aqui para colaborar com o MinC. Mas, há grande demora na troca de diálogos, idéias e informação. Games são cultura, mas é preciso saber que tipo de game pode receber esse valioso benefício. Há games que apenas promovem a violência e um ataque cruel a nossa cultura. Não podemos também sucumbir à tentação de que tudo que é eletrônico e digital sja moderno e benéfico.

  • Ricardo

    20 de março de 2013

    Incluam os games no Vale-Cultura, pois eles são cultura SIM!
    As pessoas pensam que jogos são “apenas apertar botões” e pronto, mas não são.
    A grande maioria dos jogos possui um enredo baseado em mitologias, crenças e costumes de vários países, trazendo conhecimento para quem o joga.