quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017 RSS Ouvidoria Fale com o Ministério
« Voltar Imprimir

Patrimônio da Humanidade

MinC apoiará o projeto de candidatura da Pampulha juntamente com a prefeitura de Belo Horizonte

Ministra da Cultura durante reunião com o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda

O Ministério da Cultura (MinC) e a prefeitura de Belo Horizonte (BH) vão unir esforços no projeto de candidatura da Pampulha a Patrimônio da Humanidade, junto à Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). No Corredor Cultural Estação das Artes, a cidade vai ganhar um Centro Unificado das Artes e do Esporte (CEU). Esses dois anúncios foram feitos nesta quinta-feira (7), de manhã, pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, e o prefeito Marcio Lacerda, logo após uma reunião de trabalho na prefeitura.

Marta anunciou que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) irá investir cerca de R$ 32 milhões na recuperação do conjunto, formado pela Casa do Baile, pelo Iate Tênis Clube, pela Igreja São Francisco de Assis e pelo Museu de Arte da Pampulha (MAP). “Tudo está caminhando para que o conjunto consiga esse título. É um momento de homenagem ao arquiteto Oscar Niemeyer e nada mais importante do que essa qualificação para a Pampulha, que é símbolo para todos nós, brasileiros”, disse a ministra.

Desassoreamento

A Prefeitura de Belo Horizonte vai investir aproximadamente R$ 150 milhões no desassoreamento da barragem, no tratamento bioquímico das águas, na revitalização do entorno das margens e no ajardinamento. O prefeito Marcio Lacerda explicou que, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento, a Copasa está investindo cerca de R$ 140 milhões nas obras de captação de esgotos remanescentes que convergem nos córregos para a Pampulha.

Ministra Marta Suplicy visitou o Museu de Artes e Ofícios, na capital mineira, acompanhada da diretora Angela Gutierrez

Presidente da Fundação Municipal de Cultura, Leônidas de Oliveira ponderou que o título pode elevar o patamar de Belo Horizonte aos olhos do mundo. “Isso significa que a capital mineira estará presente nos livros artísticos, na lista da Unesco e, o mais importante, será reconhecida internacionalmente pela sua cultura”, frisou. Leônidas salientou que nesta semana foram iniciadas as obras de restauração dos Jardins de Burle Marx, localizados na orla da Lagoa da Pampulha. As intervenções incluem a recuperação dos jardins do MAP, da Casa do Baile, da Igreja São Francisco de Assis, da Casa Kubitschek e da Praça Dalva Simão, todos tombados pelo Patrimônio Cultural nas esferas federal, estadual e municipal.

CEU

O Corredor Cultural Estação das Artes, onde prefeitura e MinC começam agora a planejar a instalação de um CEU, tem localização estratégica no centro de BH, com grande frequência de público. É parte do complexo ferroviário onde há vários equipamentos culturais, inclusive o Museu de Artes e Ofícios, visitado ontem pela ministra Marta.

Além deste, o Estado de Minas Gerais vai contar com 41 Centros Unificados das Artes e do Esporte (CEUs), num investimento de R$ 94 milhões. Minas recebeu no ano passado do MinC R$ 61 milhões. E por meio da Lei Rouanet foram apoiados projetos num montante de mais R$ 123 milhões.

A ministra Marta informou que o governo federal, por meio do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) também vai recuperar patrimônio em Minas, nas cidades de BH, Congonhas, Diamantina, Mariana, Ouro Preto, Sabará, São João del Rey e Serro.

(Ascom/MinC e Ascom/Prefeitura de Belo Horizonte)
(Fotos: Pedro Silveira)

Compartilhe:
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • MySpace
  • TwitThis
  • email
  • LinkedIn

Participação do Leitor

Espaço reservado exclusivamente para comentários acerca da matéria ou publicação veiculada nesta página. Solicitação de informações ou dúvidas devem ser encaminhadas por meio do Fale com o Ministério; reclamações ou denúncias devem ser dirigidas para Ouvidoria.

*

max. 1000 caracteres


Regras para comentários:

1. Os comentários terão moderação desta Assessoria de Comunicação.

2. Comentários que fujam ao teor da matéria serão excluídos.

3. Ofensas e quaisquer outras formas de difamação não serão publicadas.

4. Não publicamos denúncias. Nestes casos, serão enviadas à Ouvidoria, que as encaminhará aos órgãos cabíveis.

5. A postagem de comentários com links de matérias não produzidas por este ministério será excluída.

6. Respostas a questionamentos e esclarecimentos exigem consulta, impedindo-nos, por vezes, retorno imediato.